Panos de Prato

Publicado em agosto de 2017

Outro dia estava arrumando alguns armários aqui em casa (de vez em quando tenho esses “repentes” e desandei a arrumar as coisas) e achei uma sacola com panos de prato. Daí fui arrumar outro armário e achei mais panos de pratos. E quando olhei a gaveta tinham mais alguns panos de pratos de novos a semi-novos. Mas para quê tantos? Nessas dúvidas o que se faz? Liga para mãe, lógico! E o diálogo foi mais ou menos assim:

– Mãe, bença. Tudo bem? Então, tava arrumando algumas coisas aqui em casa e notei que tenho pano de prato até meus bisnetos ou então até os netos dos meus afilhados (tenho quatro) já que não sei se teremos filhos.
– (ouço gargalhadas do outro lado). Deus abençoe, minha filha. É assim mesmo. Pegue os panos de pratos mais velhos e use para limpar o fogão e a pia. E vai guardando.
– Mas mãe, por quê você me deu tantos? E eu ainda ganhei e achei uns baratos nos Estados Unidos e comprei mais. É sério. Tem para umas três gerações aqui e somos só nós dois em casa.
– (mais risos) É assim mesmo, minha filha. Vai guardando e renovando. Esquece os que têm.
– Tá bom mãe. Mas lembra, não me dê mais pano de prato, ok?

Desligo o telefone e continuo sem entender. Por que preciso de tanto pano de prato? Bem, ainda não achei a resposta. Continuo na mesma dinâmica na troca dos panos. Só que agora deixo alguns para limpar a pia e o fogão (antes deixava papel toalha mesmo). Aqui em casa temos um acordo. O marido lava os pratos e eu enxugo e guardo. Sou mais desastrada e sabão + água = a possível desastre. E ainda não quebrei nada (yes \o/)  em quase 2 anos e meio de casados.

E assim como os panos de prato a gente vai aprendendo. Vale a pena deixar algumas coisas guardadas para usar depois, para deixar para algumas gerações. Tem coisas que a gente não usa de imediato. E várias coisas que a gente vai aprendendo aos poucos mesmo, perguntando e depois usar. Assim como a vida.